O caráter é o que conta…

(histórias de minha mãe)

Por Maria Cristina de Lucca

Alice conta sobre suas recordações

Alice conta sobre suas recordações

           Minha mãe Alice sempre comenta que o Vô Sebastião era um homem calado, sério, que dizia mais com o olhar do que com palavras. Com os olhos, ele transmitia o amor pela família, o carinho, a dedicação, mas também indicava quando era hora de “maneirar” na bagunça… Sim, porque, quando todos se reuniam para o jantar, com direito a muita polenta com franguinho do quintal, verduras da horta, ovos fresquinhos, frutas do pomar, após um dia cansativo de labuta na roça, era aquela bagunça (organizada)… era difícil conter… então, aquela olhadinha de canto de Sebastião era o “toque de recolher”.

          Na hora da reunião familiar, os dotes artísticos se revelavam… Laurindo e Maria improvisavam um Cascatinha e Nhana, acompanhados pelo “violão” de Dionízio, feito de lata de óleo e barbante. Enquanto isso, Santo brincava de rola-rola num tambor, Georgina bordava uma toalha para o Natal, Palmira costurava um novo modelo para o baile de sábado e Alice lidava para não perder nenhum ponto em seu tricô, trabalhado com agulhas de pena de pato, à luz do lampião (o qual deixava o nariz todo preto com a fumaça…); Toninha brincava com sua bonequinha feita de sabugo de milho e Domingos dormia abraçado no cavalinho feito de chuchu.  Eram pobres, mas extremamente felizes !

          Sebatião era um exemplo de honestidade, tinha sempre suas contas em dia e não deixava faltar nada em casa. Até mesmo nos tempos de guerra, quando alguns produtos eram racionados ou estavam em falta, ele dava um jeito e improvisava: rapadura no lugar do açúcar, por exemplo…Era simples, não tinha vaidade nenhuma. Era muito esforçado e trabalhador e passou isso para os filhos. Ninguém se importava em trabalhar duramente na roça de algodão, ou plantação de eucalipto, mesmo debaixo de chuva…

          Minha mãe conta que, quando ela era menorzinha e ainda não ia para a roça, gostava de levantar cedinho com o pai e acompanhá-lo até uma biquinha para lavar o rosto… Depois, ficava esperando o pai chegar do trabalho, para tirar os carrapichos que tinham grudado em suas calças. Ele gostava muito de travesseiro recheado com macela, mas era meio difícil de encontrar. Então, ela ficava procurando, procurando; quando achava, era aquela alegria! “O pai vai ganhar travesseiro novo!”

          Todo mês, quando fazia a despesa, Sebastião trazia uma coisinha diferente: salsicha em lata, azeitonas, mortadela…

          No Natal, todos ganhavam uma lembrancinha – quase sempre, era um docinho, que tinha na embalagem um garotinho mostrando a língua – e roupa nova…

          Quando ia visitar a mãe em Jundiaí, ele sempre levava um dos filhos. Minha mãe ficava esperando ansiosamente sua vez, porque ia passear de Maria Fumaça e tomar água com groselha, cujo sabor ela recorda com muita saudade: era sabor de infância…

          Na casa da vó, Alice comia (ou tentava comer) a macarronada feita com o que parecia ser um único espaguete quilométrico, que não acabava nunca de tão comprido. Mas, dos morangos, não podia chegar perto – a Nona tinha muito ciúme dos morangos… Ela confessa que tinha um pouco de medo da Nona, que parecia ser meio brava. Um dia, a Nona deu para ela uma enxadinha, mas ela ficou com vergonha de pegar…até hoje, arrependida da timidez, ela pensa nessa enxadinha, que, diante da recusa, foi dada para a prima Malvina.

          Aos 14 anos, Alice foi convidada para trabalhar como babá. Sebastião deu o maior apoio, não impediu que ela trabalhasse fora. Tinha uma mente muito aberta e avançada para a época. Queria ver os filhos progredirem.

          Ele gostava muito de música e ficava sentado na soleira da porta, ouvindo o rádio do vizinho. Então, Alice, assim que conseguiu juntar um dinheirinho, deu um rádio de presente para ele. Sebastião, mais uma vez, expressou sua alegria com seu olhar, um misto de orgulho e emoção.

          Um dia, quando Alice se dirigia para a casa dos pais para visitá-los, notou que havia uma grande multidão na rua. Ninguém tinha coragem de contar para ela o que havia acontecido. Foi um choque tremendo. Sebastião e seu genro Francisco haviam falecido num acidente na pedreira onde trabalhavam. Era difícil acreditar que aquilo era verdade. Um homem tão saudável e forte.

          Muita gente no enterro, o que demonstra que não é preciso ser uma pessoa muito falante e extrovertida para ser querida e admirada o caráter, sim, é o que conta.

          Gosto muito de ouvir esses relatos de minha mãe… parece que eu viajo no tempo e vivo com ela essas experiências. E é muito bom saber que agora temos um Blog para registrar tudo isso… nossas raízes nunca morrerão… estaremos sempre todos em cada um.

(texto: Maria Cristina de Lucca
fotos: Fábio Manzatto)

Anúncios

Etiquetas: , , ,

7 Respostas to “O caráter é o que conta…”

  1. Nelson Says:

    Belo texto Cristina. Falar de pessoas de bem, nos faz bem, não é verdade? Ver histórias de pessoas que nem conhecemos – como Sebastião, seu avô e meu tio, nos coloca em contato com as ações dele. É como se tivessemos vivido estas histórias junto com ele

  2. fabiomanzatto Says:

    isso ae cris.. parabéns e obrigado pela colaboração de vocês com o blog.

    esta no ajudando a enriquecer ainda mais nossa história familiar.

    e que belo encontro!!!!

  3. Cristina De Lucca Says:

    É verdade, Nelson… e que simplicidade deliciosa que tinha naquela época, não é mesmo?!
    Ow, Fabio, belo encontro mesmo!!! Espero que haja muitos daqui pra frente… quero ver o livro de presença lotadinho!!!

  4. Nelson Says:

    Vamos lotar tudo isso. Vamos nos ver sempre que possível. Alguém um dia me disse: “A gentes somos lindos!!!” e não é que somos mesmo???

  5. Ana Maria Says:

    Concordo com o Nelson, belo texto Cristina, e que belo encontro, já aguardamos o próximo, vamos ver o livro de presença lotadinho.

  6. Nelson Says:

    E todo mundo deve ter percebido a mudança no visual: mais bonito, mais histórico, mais família. Isso, por conta e arte do Fábio e, claro, prá comemorar as 10 mil visitas que o blog já recebeu em menos de um ano!

  7. Cristina De Lucca Says:

    Lindo o banner!!!! Perfeito!
    Grande Fabio!!!! Parabéns!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: