Procura-se!

Você é Manzato de onde?

Por Nelson Manzatto

Interessante quando se começa a analisar eventuais parentescos entre pessoas que têm o mesmo sobrenome. A primeira pergunta é “Fulano Manzato é seu parente?” A resposta é quase óbvia: “Imagino que não, mas talvez seja!”. Curioso, não? Na busca por pessoas com o mesmo sobrenome, surge um rosário de informações, mas os nomes, aqueles já citados aqui e que são uma espécie de “falta de criatividade” no momento do nascimento, provocam reações do tipo: “este é parente, falta descobrir onde nossos ancestrais se encontram.”

Já mostramos aqui, por exemplo, a história de Elda Lemos Manzatti (atenção no sobrenome). O bisavô de seu marido é Angelo Manzatto e mora em Batatais. O sobrenome de Elda (que ganhou do esposo) tem tudo a ver com Antonius Manzati, nascido em 1699 e que era pai de Franciscus Manzato. Esta família sim, está na linha de descendência de Manzati. Ela afirma que tem tios Manzatto e Manzatti. Até que ponto houve erro no cartório de registro civil não se sabe. Mas já mostramos aqui que Manzato e Manzatto são absolutamente parentes.

E voltamos ao Angelo. Um nome já citado aqui, mas que não sabemos ao certo onde veio morar, depois que deixou a Itália. Victorio também foi várias vezes citado por aqui, mas pode não ser o mesmo. O que nos referimos agora, mora na região de Jau e Bauru, cidades já comentadas aqui. Vale citar que, entre estes Manzatos, há parentesco com Benassi, exatamente igual aos Manzatos de Jundiaí ligados a André Benassi. Estes Manzatos são netos de Marco Manzato, irmão de Santo.

Marcia Sueli Manzato é filha de Mauro, mas bisneta de Victório. O mesmo citado acima? Pode ser, já que ela comenta que tem parentes em Jau.

Rodrigo Manzato, de Pedreira, tem ligações com Manzatos em Valinhos, mas não conseguimos ir além do trisavô dele, Giusepe. Mas estamos na linha de saber se há alguma ligação com Angelo, já comentado aqui.

Na busca por nomes diferentes, mas que sempre barramos em nomes iguais, sabemos que na região de São José do Rio Preto existem descendentes de Santo Manzato e um filho era Angelo.

Torrinha, São Paulo, Marília, são algumas cidades com Manzato e Manzatto. Há muitos Manzatos em Jundiaí, mas faltam ligações, parentescos. Louveira, Itatiba, Itu, ABCD e muitas outras cidades deste interior de São Paulo têm Manzat(t)o. Faltam conexões que precisamos montar. Às vezes as pessoas nos procuram com informações limitadas e não vão além de avós o que nos impede de avançar numa relação e ligação maior. Nos procurem, nos informem. Tudo é fundamental. Todos os Manzat(t)os têm a mesma ligação, basta descobrir se Franciscus é o primeiro ou se houveram outros descendentes de, quem sabe, irmãos de Antonius e que resolveram trocar o Manzati por Manzato.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: